Carregando...

PVC explica novela Flamengo, Dedé, Cruzeiro e Investidores

Depois de tirar Arrascaeta do Cruzeiro, o Flamengo ainda não está satisfeito no mercado. 
A diretoria rubro-negra ainda alimenta esperanças de contratar Dedé, também no time mineiro.

No entanto, sofre com a resistência da diretoria celeste, mas, como garantiu o repórter Ricardo Lau, o clube carioca vai até o limite para ter o camisa 26.

Durante o Expediente Futebol desta sexta-feira (11 de janeiro), o comentarista Paulo Vinícius Coelho explicou como está a situação envolvendo as quatro partes: Flamengo, Cruzeiro, Dedé e grupo de investidores. De acordo com o comentarista, a Raposa peca na falta de independência em relação aos empresários, já que é dona apenas de 20% dos direitos do atleta:
“Sonda quer recuperar o investimento. A Fifa proibiu terceiros em 2015. O Cruzeiro precisa ter mais independência dos investidores. Se o Cruzeiro tem 20%, o Sonda tem 80% e quer recuperar o investimento, vai querer vender. Se o Flamengo quiser comprar e bater forte, vai no Sonda. Aí vai ficar o embate até que se resolva”, explicou o comentarista.
No Boa Tarde FOX, o repórter Ricardo Lay revelou bastidores da conversa com Itair Machado, vice de futebol da equipe mineira. Segundo o jornalista, o Rubro-Negro ainda não desistiu da contratação de Dedé. No entanto, os cartolas trabalham em sigilo e utilizam uma postura diferente da que tiveram com Arrascaeta, até por conta da posição do atleta, que tem uma gratidão enorme ao Cruzeiro. Ainda assim, Lay destacou a entrevista de Itair Machado ao Globoesporte.com, quando o vice de futebol da Raposa ironizou um possível aliciamento dos cariocas aos atletas do Cruzeiro, mas que já não trata mais Dedé como inegociável:
“O Flamengo não desisiu de contar com o Dedé. O Itair, em tom de ironia, falou que se o Flamengo quiser ir atrás dos atletas do Cruzeiro, aliciando, o Flamengo pode entrar em contato, se pagar o que pagou pelo Arrascaeta. O Cruzeiro não teria postura de inegociável. As condições da negociação do Dedé são diferentes, por conta da fatia dos direitos econômicos”, afirmou Lay, que revelou também um silêncio dos empresários donos da maior parte dos direitos de Dedé:
‘Mantive contato com uma pessoa que faz parte do grupo de investidores e a postura é de silêncio para que não aconteça um mal-entendido. A negociação é diferente. O Flamengo vai insistir, vai até o limite. Não existe acordo para não ir atrás do Dedé”, finalizou.
Fonte: Fox Sports